H2TEC

The Navigator Company, Complexo Industrial da Figueira da Foz – Fabrico de Sem Fins Transportadores

The Navigator Company, Complexo Industrial da Figueira da Foz – Fabrico de Sem Fins Transportadores

A H2TEC – Soluções Ambientais encontra-se em fase de fabrico de dois sem fins transportadores para o Complexo Industrial da Figueira da Foz da The Navigator Company, cujo objetivo é o transporte de cinzas volantes provenientes da descarga de tremonhas. Os sem fins transportadores serão DN400 em Aço S275JR.

Estação Elevatória de Côja, Águas do Centro Litoral – Fabrico e Instalação de Unidade Combinada

Estação Elevatória de Côja, Águas do Centro Litoral – Fabrico e Instalação de Unidade Combinada

A Águas do Centro Litoral (AdCL) encontra-se a reconfigurar o tratamento preliminar da Estação Elevatória de Cojâ. No decorrer desta empreitada será fabricada e instalada uma Unidade Combinada de desarenamento e tamisagem.

O equipamento em questão irá tratar um caudal de 15 l/s, sendo composto por tamisador compactador rotativo, separador de areias longitudinal compreendendo tanque em aço inox AISI 304, transportador horizontal e classificador de areias com transportador diagonal, incluindo compressor de ar e tubagem para arejamento.

ETAR da Arreigada, Município de Paços de Ferreira – Participação Fabrico e Montagens Eletromecânicas e Tubagens

ETAR da Arreigada, Município de Paços de Ferreira – Participação Fabrico e Montagens Eletromecânicas e Tubagens

O Município de Paços de Ferreira procedeu à ampliação e remodelação da ETAR da Arreigada, de forma a que esta esteja equipada com um sistema de tratamento com recurso a membranas (MBR).

Assim, procedeu-se à instalação de um sistema de tratamento do tipo “Membrane Bioreator (MBR)”, equipado com membranas de ultrafiltração, que irá melhorar substancialmente o tratamento do efluente. Com a instalação deste sistema a ETAR da Arreigada passou a apresentar uma capacidade de 10 000 m3/dia

A H2TEC – Soluções Ambientais, S.A. foi parte integrante da obra em questão, no que diz respeito às montagens eletromecânicas e o fabrico e instalação de tubagens.

ETA da Magra, Águas Públicas do Alentejo – Participação Fabrico e Montagens Eletromecânicas e Tubagens

ETA da Magra, Águas Públicas do Alentejo – Participação Fabrico e Montagens Eletromecânicas e Tubagens

A Águas Públicas do Alentejo (AgdA) procedeu à construção de uma Estação de Tratamento de Água (ETA), em Beja.

A ETA é composta por uma linha de tratamento para a fase líquida que compreenderá os seguintes processos: correção de pH, pré-oxidação, coagulação, sedimentação, em decantadores, filtração, afinação e desinfeção. A linha de tratamento para a fase sólida inclui: tanque de equalização de lamas, espessamento gravítico e desidratação de lamas, por centrifugação. Deste modo, a ETA terá capacidade para servir cerca de 30 mil habitantes.

A H2TEC- Soluções Ambientais, S.A. foi parte integrante da obra em questão, no que diz respeito às montagens eletromecânicas e o fabrico e instalação de tubagens.

A AgdA é a entidade responsável pela exploração e gestão do Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo, que abrange 21 municípios pertencentes ao Baixo Alentejo, Alentejo Central e Alentejo Litoral.

ETAR de São Teotónio, Águas Públicas do Alentejo – Participação Montagens Eletromecânicas

ETAR de São Teotónio, Águas Públicas do Alentejo – Participação Montagens Eletromecânicas

A Águas Públicas do Alentejo (AgdA) procedeu à construção de uma nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e sistema elevatório de São Teotónio, no concelho de Odemira, que já se encontra em funcionamento. A obra foi cofinanciada em 85% por fundos comunitários através do POSEUR.

A nova ETAR permite tratar as águas residuais provenientes de toda a população de São Teotónio, composta por cerca de 2.100 habitantes, dispondo de um sistema de receção e pré-tratamento de lamas provenientes de fossas e outras ETAR da região. A H2TEC- Soluções Ambientais, S.A. foi parte integrante da obra em questão, no que diz respeito às montagens eletromecânicas.

Esta obra ocorreu no sentido de complementar uma anteriormente realizada, que permitiu desativar duas fossas sépticas e construir um sistema intercetor para encaminhar todos os esgotos para a ETAR.
A AgdA é a entidade responsável pela exploração e gestão do Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo, que abrange 21 municípios pertencentes ao Baixo Alentejo, Alentejo Central e Alentejo Litoral.

Tratamento de águas residuais com ozono e catalisadores presentes em rochas vulcânicas

Tratamento de águas residuais com ozono e catalisadores presentes em rochas vulcânicas

A Associação Internacional do Ozono distinguiu um estudo relativo a diversas soluções de tratamento de águas residuais inovadoras. O estudo foca-se em soluções para tratamento de águas residuais com contaminantes emergentes, nomeadamente, fármacos, produtos de higiene pessoal, pesticidas, entre outros.

Neste estudo é testado o uso do ozono e da biofiltração enquanto métodos de tratamento. Assim sendo, no que diz respeito ao primeiro, é utilizado ozono fotocatalítico, isto é, ozono associado a um catalisador e luz. Um dos catalisadores utilizados são as rochas vulcânicas provenientes do Açores, que apresentam propriedades que potenciam as reações químicas entre o ozono e os contaminantes. Os tratamentos que utilizam exclusivamente ozono apresentam resultados eficazes, contudo o preço deste gás é bastante elevado. Neste sentido, ao utilizar catalisadores que potenciam as reações, a quantidade de ozono necessária para degradar os contaminantes é menor, o que torna o processo menos dispendioso. A presença dos catalisadores, juntamente com o ozono, permite obter resultados mais eficazes e economicamente mais viáveis.

O estudo decorre no Departamento de Engenharia Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Tratamento inovador que transforma água salgada em água potável

Tratamento inovador que transforma água salgada em água potável

A falta de água potável é um problema da atualidade e que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. A realidade é que 2,2 biliões de pessoas não têm acesso a água potável, o que corresponde a 28% da população mundial.

Assim, uma forma de gerar água potável é através do tratamento de água do mar, contudo este tipo de tratamento é complexo e portanto dispendioso. Ainda assim, a ONG Give Power iniciou o desenvolvimento de uma estação de tratamento, que utiliza a energia do sol, para transformar água salgada em água potável. Esta estação encontra-se instalada na cidade Kiunga no Quénia, uma vez que se trata de um dos locais mais afetados pela escassez de água potável. A tecnologia utilizada nestas estações designa-se por “solar water farms”, nas quais são instalados painéis solares que podem produzir até 50 quilowatts de energia. Além dos painéis solares, as estações são compostas por baterias e bombas hídricas que trabalham 24 horas por dia.

Estas estações conseguem abastecer até 35 mil pessoas com água potável diariamente, sendo a qualidade desta água superior à da produzida nas estações convencionais. Além da superior qualidade, as estações da Give Power apresentam um menor impacto ambiental. Assim sendo, o objetivo é difundir esta tecnologia por outros países, cuja necessidade de água potável é urgente.

Estudo para ajudar a combater o odor e sabor desagradável da água da torneira

Estudo para ajudar a combater o odor e sabor desagradável da água da torneira

A qualidade da água de consumo é um fator bastante importante e os problemas relacionados com o odor e sabor da água representam uma preocupação crescente. A existência de odor e sabor está relacionado com algumas substâncias que são produzidas por bactérias e fungos. Esta situação acarreta diversas consequências, tais como, a utilização de metodologias de tratamento de água mais avançadas e, consequentemente, mais caras. Outra questão é a falta de confiança por parte dos consumidores relativamente à qualidade da água da torneira o que leva ao consumo de água engarrafada.

De acordo com o exposto acima, o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) decidiu integrar um estudo europeu cujo objetivo é tentar encontrar soluções para os problemas de odor e sabor da água e ajudar a alterar as legislações europeias e nacionais.

A ação WaterTOP terá a duração de quatro anos e conta com a participação de instituições científicas de 27 países europeus, encontrando-se dividida em quatro áreas e grupos de trabalho. O primeiro grupo ficará com a responsabilidade de efetuar análises sensoriais através de um painel de provadores de água; o segundo grupo irá pesquisar novos métodos químicos, tais como, sensores de medição de odores e sabores da água; o terceiro grupo irá estudar se as moléculas são ou não tóxicas para a saúde humana e o quarto grupo irá trabalhar em técnicas de remoção de odores e sabores.

A qualidade da água de consumo é um fator bastante importante e os problemas relacionados com o odor e sabor da água representam uma preocupação crescente. A existência de odor e sabor está relacionado com algumas substâncias que são produzidas por bactérias e fungos. Esta situação acarreta diversas consequências, tais como, a utilização de metodologias de tratamento de água mais avançadas e, consequentemente, mais caras. Outra questão é a falta de confiança por parte dos consumidores relativamente à qualidade da água da torneira o que leva ao consumo de água engarrafada.

De acordo com o exposto acima, o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) decidiu integrar um estudo europeu cujo objetivo é tentar encontrar soluções para os problemas de odor e sabor da água e ajudar a alterar as legislações europeias e nacionais.

A ação WaterTOP terá a duração de quatro anos e conta com a participação de instituições científicas de 27 países europeus, encontrando-se dividida em quatro áreas e grupos de trabalho. O primeiro grupo ficará com a responsabilidade de efetuar análises sensoriais através de um painel de provadores de água; o segundo grupo irá pesquisar novos métodos químicos, tais como, sensores de medição de odores e sabores da água; o terceiro grupo irá estudar se as moléculas são ou não tóxicas para a saúde humana e o quarto grupo irá trabalhar em técnicas de remoção de odores e sabores.

A problemática do stress hídrico. Quais os distritos mais afetados em Portugal?

A problemática do stress hídrico. Quais os distritos mais afetados em Portugal?

O Instituto de Recursos Naturais através da ferramenta Aqueduct, que identifica e avalia riscos hídricos em todo o mundo, concluiu que um quarto da população mundial vive em regiões de stress hídrico elevado. O stress hídrico é um indicador que mede o risco que cada população tem de vir a enfrentar uma situação de falta de água devido à utilização excessiva das reservas.

No que diz respeito a Portugal, os distritos de Setúbal, Faro, Évora e Portalegre encontram-se em stress hídrico extremamente elevado. Tendo em conta um panorama geral, Portugal enquadra-se num cenário de stress hídrico elevado, consumindo em média mais de 40% da água disponível. Por outro lado, relativamente ao risco de seca Portugal apresenta um risco médio a médio-alto, sendo os distritos mais afetados Beja, Évora, Setúbal, Portalegre, Bragança e Lisboa.

Ao nível global, o Médio Oriente e o Norte de África apresentam má gestão da água, uma vez que a produtividade de água é metade da média mundial e a maioria das águas residuais não são recicladas. Neste sentido, existem diversas medidas a ser implementadas a nível regional ou nacional, tais como: aumento das tarifas da água e a promoção de consumos mais eficientes na indústria e agricultura. As estruturas humanizadas (canalizações ou ETAR) ou estruturas naturalizadas (telhados verdes ou zonas alagadas) apresentam um papel fundamental no aumento da capacidade de retenção de água. Além da retenção de água, é necessário um posterior tratamento das águas residuais que seja eficaz, de forma a que estas possam ser reutilizadas para consumo humano, agrícola ou industrial.

Reconfiguração do tratamento preliminar da EEAR de Côja

Reconfiguração do tratamento preliminar da EEAR de Côja

A H2TEC irá proceder à reconfiguração do tratamento preliminar da Estação Elevatória de Águas Residuais (EEAR) de Côja, pertencente às Águas do Centro Litoral, estando previstos trabalhos de construção civil, execução de circuitos hidráulicos, instalação de equipamentos electromecânicos e hidromecânicos e execução de instalações elétricas.